sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Desculpem lá, mas tenho de desabafar

Chego ao Facebook e vejo que uma das pessoas que conheço está a queixar-se por ter ficado a trabalhar até tardíssimo ontem e hoje ter entrado às 10h da matina, e que os funcionários públicos (esses porcos (pronto, isso já sou eu que incluo)) estão hoje em casa.

Pois é. O que essa pessoa se esquece provavelmente é do salário que ganha e das regalias que tem (falo com conhecimento de causa).

E eu gostava de ver essa mesma pessoa, com os anos de carreira que tem, na função pública, a ver quanto ganhava. Pois é. Não ganhava o que ganha agora. Nem tão perto.

Por isso que venham as tolerâncias. E os dias de dispensa. Já que não há prémios, nem salários com 4 dígitos, nem seguros de saúde, nem café grátis, nem táxis pagos, nem formações pagas em Londres.

E não me venham com tretas que ser funcionário público é que é bom. Já estive em empresas privadas e posso bem comparar os "dois mundos".

Claro, que há o bom e o mau em todo o lado, mas já cansa esta perseguição estúpida aos funcionários públicos.

Quem acha que os funcionários públicos não fazem nenhum, por mim, podem ficar com essa ideia à vontade.

Eu cá, tenho plena consciência do que faço. Ovelhas ronhosas há em todo o lado.

2 comentários:

Manuela disse...

Querida Claudia, muito bem dito!
Beijinhos e bom fim-de-semana :)

Eu disse...

Uuuuuuuiiiiii...
Não sei quem escreveu isso, mas calculo!

Beijocas!