quarta-feira, 28 de abril de 2010

"sto pensando di andare sula luna a vivere vacanze spensierate"

Nem sei por onde começar.

Ontem cinco minutos antes da reunião em que me foi comunicada a decisão menos boa, o meu pai escrevia no Facebook a frase sto pensando di andare sula luna a vivere vacanze spensierate, e eu pensei quero tanto ir contigo! È o que preciso... E perguntei-lhe se me podia juntar a ele.

Ironia do destino ou não, o telefone toca pouco tempo depois. E a verdade é que eu já sabia ao que ia. Mas não sabia como ia reagir.

Apesar dos meus quase 25 aninhos, tenho uma experiência de vida que me deu alguma estaleca, e que por A+B já tinha entendido o óbvio. Eu seria despedida. E assim foi.

Ontem consegui perceber o poder de encaixe que tenho. E que tenho capacidade para ver as oportunidades nos momentos menos bons.

Tenho 25 anos, um curso profissional, um curso técnico, em Julho termino a licenciatura e vou fazer um mestrado. A isto juntam-se já alguns anos de experiência profissional muito enriquecedora. Tenho muitos projectos. Muitas ideias. O sangue fervilha-me nas veias. Não vou parar. Não consigo. E este é o momento de "agarrar o touro pelos cornos".

Na próxima Sexta será o último dia.

Talvez guarde saudades do trabalho, do que aprendi, da vista da cozinha, do que cresci pessoal e profissionalmente. Mas não é só isso. Do que realmente vou ter mesmo saudades são das pessoas. E três que aqui conheci e que para já por cá ficam, estarão sempre no meu coração. Porque descobri amigas, companheiras, confidentes. A C., a R. e a O. foram pessoas muitos especiais neste percurso. E há outras pessoas que já sairam e das quais nunca me esquecerei, como a M., ou a A. E claro há a V., mas com ela já conto alguns anos de amizade, antes do percurso laboral conjunto. Hoje quero-lhes dizer obrigada, porque sem elas, estes momentos teriam sido mais difíceis.

Mas também sei que isto não é uma despedida. È um até já. E elas ficam comigo, porque esta foi uma experiência que se me colou à pele, e agora, minhas queridas, é amizade para a vida!

Saio de cabeça erguida e sei que fiz um bom trabalho. A partir de Segunda novos desafios virão, estou certa disso.

3 comentários:

Anónimo disse...

Por diversas razões, revejo-me em ti. Tens 25 anos, mas a experiência que a vida te deu, e a estaleca que foste obrigada a ter faz de ti uma pessoa formidável. Eu não acho, eu SEI que tudo vai correr bem, e que tudo isto tem uma razão de ser.
É uma fase da nossa vida que termina (sim, da nossa, de todas as pessoas que contigo partilharam estes anos), mas isso não é necessariamente mau. Só vai ser muito difícil habituarmo-nos à tua ausência...
Gosto muito de ti!
C

When Pigs Fly... disse...

Minha querida, há lugares sem luz, e vão ficar sem mais uma.
Respira e vive, és linda, inteligente, e o futuro quer muitas luzinhas a brilhar, e tu és uma delas.
Vive e brilha! Muitos beijinhos!

PS: Adorei a frase do teu pai... bolas, toda a gente devia falar italiano!

PS2: É agora que nos vamos encontrar?! LOL!

Claudia disse...

C.
Isto vai-me custar e muito. Neste momento sinto um grande ponto de interrogação à minha frente... E sim, é pelas pessoas, não pelo trabalho.



WPF
Sim é agora que nos vamos encontrar!

E... eu sou suspeita, mas acho que toda a gente devia falar italiano (especialmente falar alto em italiano), comer comida italiana, amar como eles amam, discutir com a garra com que discutem, e rir-mo-nos como eles se riem. Expansivos, naturais e felizes!



Adoro-vos moças!