terça-feira, 1 de junho de 2010

O stress e as borbulhas

Um mês antes de eu ser despedida a minha amiga F. que não anda com uma situação laboral muito favorável, dizia-me que o ataque de borbulhas que estava a ter só podia ser do stress que ela andava a sentir por causa do trabalho. Ela tinha tentado tudo: mudou de base, de creme, de pincéis, de pílula, tirou os chocolates, as azeitonas e as tiras de milho da alimentação, e elas, malvadas, lá continuavam. E note-se que a F. mesmo em tempos de adolescente sempre teve uma pele lisinha, lisinha, de fazer inveja a quem passava pelas horrorosas borbulhas típicas dessa fase da vida.

Eu nos últimos meses tinha borbulhas que nunca mais acabavam, todos os dias lá surgia mais uma. E mais uma. E mais uma. E a minha cara estava uma desgraça, que só com uma boa base é que as coisas eram disfarçadas. Dei culpa a muitos factores, mas nunca pensei no stress, nem mesmo depois desta conversa.

Hoje, acho que a F. estava cheia de razão. Esta conversa veio-me à cabeça assim do nada, quando olhei para o espelho e apercebi-me que elas não tinham mais aparecido desde do tempo em que fui despedida. A minha pele está fantástica! As marcas das antigas ainda teimam por cá andar, mas nunca mais vi uma borbulha daquelas que insistiam em aparecer.

Se estava a sofrer um stress terrível por lá estar? Sim, estava, mas tentava meter tudo para trás das costas e fingir que ele não existia.

Acho que vou trabalhar para o campo, cavar batatas e plantar morangos, apanhar cerejas das árvores, tomar banhos de rio e deixar o stress para trás!

2 comentários:

When Pigs Fly... disse...

Já somos duas...

AH! Os tomates fazem borbulhas! (aqueles do campo)

Anónimo disse...

Aaaahh.... Tá explicado.

C