terça-feira, 25 de agosto de 2009

...

Sinto um ponto de interrogação na minha vida. Estou na minha casa paredes meias com um estranho. Sinto-me desconfortável, não sou eu própria, não actuo de forma sincera, não ponho a música alta, já nem me sinto rodeada pelos objectos que me são queridos. Uma situação complicada não devia vir anexada a outra situação em que também não nos sentimos bem. Não sou eu que estou a mais, mas fazem-me sentir assim. Acabo por estar perdida no meio de uma relação que não percebo e que teimam em que compactue para que exista. A minha paciência e boa vontade têm limites, e o fim está próximo. Não vou abdicar de bens que me pertencem em prol de estranhos. Tenho direito ao meu pedacinho de liberdade, não tenho de viver sufocada. Quero pôr tudo para trás. Quero fingir que não aconteceu.

2 comentários:

carl@ disse...

Quando percebemos que não estamos bem, temos de ter a coragem para mudar, para expressar o que incomoda e assim conseguir ultrapassar o mal-estar.
Fingir ou fugir não ajuda a mudar.

De certo acabarás por encontrar o caminho melhor para te sentires bem.

beijinhos

Claudia disse...

Obrigada pelas tuas palavras. muitos beijinhos